Tecnologia

MCTI realiza maior entrega de medalhas para vencedores de Olimpíadas Científicas – Governo Federal

wp header logo 162 Albânia 10

Notícias

Foto: Neila Rocha (ASCOM/SEAPC/MCTI)
O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) realizou a maior entrega de medalhas de Olimpíadas Científicas da história. 375 estudantes de diversas idades que são ganhadores de competições científicas financiadas pelo ministério receberam da mão do ministro do MCTI, astronauta Marcos Pontes um certificado e a medalha. “Olha do seu lado, aqui estão alunos que receberam essas medalhas, a pessoa que está do seu lado, de repente essa pessoa pode ser um futuro prêmio Nobel. Por que não? É possível!”, falou o ministro aos estudantes durante o evento que aconteceu na cidade de São Paulo neste sábado (26). “Estar com vocês é uma honra, de repente são vocês aqui que vão criar alguma cura para o câncer, de repente está entre vocês um futuro astronauta que vai começar a colonização de Marte, pode estar aqui no meio”, completou Marcos Pontes.
Financiar Olimpíadas Científicas é uma das ferramentas da Secretaria de Articulação e Promoção da Ciência do ministério (SEAPC/MCTI). O objetivo é tornar este mundo mais atrativo para crianças e jovens. O diretor do Departamento de Promoção e Difusão da Ciência, Tecnologia e Inovação, Daniel Lavouras, criador de olimpíadas como a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), destaca a importância deste tipo de competição para os estudantes. “A olimpíada é focada em resgatar a autoestima do estudante e do seu professor também através do resultado do aluno. Depois que ele é fisgado é um processo natural, o ser humano quando ele está interessado em alguma coisa ele se desenvolve, ele aprende, então acaba revelando um talento precoce e através do esforço ele pode ficar forte sim em algum assunto, ajudando na escolha da carreira profissional, então a olimpíada é um instrumento de transformação social”, afirma Daniel.
O MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações investe financeiramente em 62 competições científicas espalhadas pelo país via edital do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), autarquia vinculada ao ministério. As competições são voltadas a estudantes de diferentes faixas etárias, do ensino fundamental 1 até o ensino médio, e algumas até do ensino superior.
Por ano, quase 20 milhões de alunos participam dos eventos nacionais, que premiam os mais bens colocados, e servem como seletivas para disputas internacionais. Além disso, também serve como seleção para receber a Bolsa Iniciação Científica Júnior CNPq/MCTI do Auxílio Brasil.
Auxílio Brasil
Entre os agraciados no evento, aproximadamente 30 estudantes receberam a Bolsa Iniciação Científica Júnior CNPq/MCTI, um benefício que faz parte do programa de distribuição de renda do Governo Federal, o Auxílio Brasil.  Sete desses alunos puderam comparecer ao local para receber do ministro Marcos Pontes a medalha e dois certificados, um da olimpíada em que se consagrou campeão e outro da Bolsa Iniciação Científica Júnior CNPq/MCTI do Auxílio Brasil.
Para receber esta bolsa, o estudante com família cadastrada no Auxílio Brasil precisa ter sido destaque em uma das Olímpiadas Científicas do MCTI. A família recebe um aporte inicial de R$ 1.000,00, pago pelo Ministério da Cidadania. Por meio do CNPq/MCTI, são pagas mais 12 parcelas mensais de R$ 100,00 ao aluno. Além disso, o estudante recebe uma mentoria especializada para que siga na carreira científica.
Clique aqui e confira as fotos do evento.
Assista o evento completo no vídeo abaixo:
 

source

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.