Tecnologia

Novembro Azul: a tecnologia no combate ao câncer de próstata – TecMundo

wp header logo 20 Albânia 10

Eduardo Harada
via nexperts
Assim como acontece em outubro com a campanha de conscientização para o câncer de mama, novembro é marcado por uma importante mensagem de saúde. O Novembro Azul é um lembrete para todos os homens a respeito do câncer de próstata, o segundo mais comum no sexo masculino no Brasil, com 2 milhões de novos casos todos os anos.
Para entrarmos nessa campanha, já falamos sobre como a tecnologia tem ajudado no diagnóstico, no tratamento e na prevenção dessa doença tão preocupante. E é importante destacar que o diagnóstico precoce é uma das formas mais eficientes de luta contra a doença, que pode começar de forma silenciosa antes de chegar a um estágio avançado.
O diagnóstico para detecção precoce da doença evoluiu muito nos últimos anos, com destaque para exame Oncotype DX. (Fonte: Pexels)Detecção precoce da doença evoluiu muito nos últimos anos, com destaque para exame Oncotype DX. (Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 
De modo geral, os avanços tecnológicos têm ajudado na detecção de diversas doenças. Embora o toque retal ainda seja um dos métodos de diagnóstico mais eficientes, pode ser complementado pela dosagem do antígeno prostático específico (PSA) no exame de sangue. Para o caso de tumores mais graves, o Oncotype DX — Genomic Prostate Cancer (GPS) é um dos exames tecnológicos mais efetivos, já que avalia 17 genes para entender qual deve ser a abordagem nos cuidados médicos, se clínica ou cirúrgica, associada ou não à radioterapia.
Também existe a plataforma Painel Câncer de Próstata Hereditário, que avalia 19 genes do DNA para identificar a predisposição genética para o desenvolvimento da doença entre gerações.
A cirurgia robótica já é uma realidade para tratar esse tumor bem característicos de homens acima de 45 anos. (Fonte: Pexels)Cirurgia robótica já é realidade para tratar esse tumor bem característicos de homens acima de 45 anos. (Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 
O ápice dos avanços tecnológicos relacionados a essa doença está associado ao tratamento. A laparoscopia, procedimento cirúrgico muito utilizado para a retirada da vesícula biliar, é recomendada para lidar com o tumor característico de homens a partir dos 45 anos. O procedimento é minimamente invasivo e acontece com o paciente anestesiado. Em alguns casos, até mesmo a cirurgia robótica é recomendada, conferindo ainda mais precisão nos cuidados com essa doença.
Os avanços tecnológicos também permitiram que o procedimento seja realizado pelo canal da uretra, dispensando cirurgias abertas que exigem maior tempo de recuperação. Outro aspecto no qual a tecnologia tem ajudado é no auxílio psicológico dos pacientes. A telemedicina, formato de atendimento que tem colaborado com diversas especialidades, facilita o acesso a consultas com psiquiatras e psicólogos, profissionais que acabam ajudando na aceitação dos cuidados médicos, quando necessários.
A telemedicina cumpre um papel importante nos cuidados com essa doença que afeta muitos homens anualmente. (Fonte: Pexels)Telemedicina cumpre papel importante nos cuidados com essa doença que afeta muitos homens anualmente. (Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 
Engana-se quem pensa que as novas tecnologias não podem ajudar também a prevenir o câncer de próstata. A telemedicina colabora para estender o acesso a urologistas e buscar um diagnóstico mais cedo, o que é importantíssimo para tratar a doença. Embora os exames sejam presenciais, as consultas online são práticas para tirar dúvidas e desmistificar aspectos que acabam gerando confusão. Isso é especialmente importante no caso dos homens, que ainda apresentam muita resistência para buscar a ajuda médica ou só o fazem quando os primeiros sinais aparecem.
Novembro é um importante lembrete para o cuidado da saúde masculina. Além do acompanhamento médico, é essencial manter boa alimentação, praticar exercícios com regularidade, manter o peso corporal em níveis adequados e evitar o consumo de bebidas alcoólicas e o tabagismo.
Mesmo que o câncer de próstata seja uma doença preocupante e que exija ações rápidas, o diagnóstico precoce possibilita maiores chances de que os cuidados médicos sejam bem-sucedidos. Portanto, se você tem mais de 45 anos, converse com seu médico e entenda mais sobre os exames que devem ser feitos anualmente.
PUBLICIDADE
© COPYRIGHT 2021 – NO ZEBRA NETWORK S.A.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

source

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *